terça-feira, 29 de dezembro de 2009

O PS não comparece, o Bloco explica e a CDU continua a complicar...


Hoje houve reunião de Assembleia de Freguesia... Ou melhor, era para haver!
Os elementos do PS, 20 minutos depois ainda não tinham aparecido.
A deputada do Bloco de Esquerda manteve-se na plateia. Após um tempo razoável de espera, a Presidente chamou a Cecília à mesa para iniciar a sessão.
A Cecília disse que, perante o sucedido na última reunião, em que ela disse que tinha dúvidas em relação à eleição do executivo e pediu um adiamento até chegarem os pareceres das entidades com competência na materia, e esse adiamento foi negado, não iria integrar a mesa. Explicou que não tinha ainda nenhum parecer conclusivo, porque todos tinham dúvidas e precisavam de tempo; e que aparentemente os membros da CDU seriam os únicos sem dúvidas. Assim, não justificava iniciar a reunião.
Perante isto a sessão não chegou a ser aberta.
Depois a palhaçada foi a do costume, com pessoas da plateia a acusarem os outros de obstrução e falta de democracia... Falta de democracia? "Realmente é verdade, nesta assembleia não há lugar para a democracia", mas a culpa não é certamente da oposição(BE).
Acusaram a Cecília de não estar a aceitar a eleição do executivo, quando ela própria tinha votado e viabilizado a votação. "Votaste em mim" - disse a Susana Picanço, carregada de arrogância e desdém. Aí a Cecília explicou que manteve a palavra dela, que tinha conversado com a Srª Presidente e com o Sr. José de Passos(actual Presidente da Junta de Stª Maria), eles tinham falado em propô-la para integrar o executivo, explicou que a Srª ficou de lhe telefonar a confirmar. A Srª Presidente não só, não telefonou, como teve a coragem de dizer que aquilo era mentira. A bloquista só lhe respondeu que ela acabara de descer ainda mais baixo na sua consideração.
A Presidente ainda argumentou que a deputada do bloco tinha em algum momento falado com um membro da CDU sobre a eleição de um elemento PS para a mesa de Assembleia, por isso tinha acontecido assim... Srª Presidente, afinal ficou de ligar ou não? Primeiro diz que não e depois justifica o motivo de não ter ligado. Mas a contradição já se tornou parte do que lhe conhecemos, e cada vez o vai demonstrando mais.
Pelo que podemos descurtinar, a Cecília sempre tentou negociar e fazer o melhor pelo povo. A CDU é que faltou à palavra.
Quem lá esteve sabe que os comunistas provocaram, chamaram nomes, tentaram entrar em confllito... Chegaram ao ponto de empurrar e chamar "ignorantes de merda"...
No fim ficaram todos lá para dentro a discutir sozinhos... Parece que nem com eles próprios se entendem, como podem conseguir trabalhar com os outros?
Nós continuamos à espera que tudo se resolva... Que a Comporta comece a ser governada e que comecem a pensar no povo. Mas, tudo dentro da lei!
Esperamos também que o respeito exista nas cabeças dos elementos CDU(PCP), que sejam civilizados e não recorram ao insulto e ao confronto.
O Bloco de Esquerda vai manter as suas posições  dentro da legalidade e com uma postura DEMOCRATICA!
Viva a Freguesia da COMPORTA!
Viva a voz do POVO?
Viva a DEMOCRACIA!

          O Bloco de Esquerda

domingo, 27 de dezembro de 2009

2010 :Ano Europeu de Luta contra a Pobreza e a Exclusão Social



Apesar de a União Europeia ser uma das regiões mais ricas do mundo, 17% da sua população não tem os meios necessários para satisfazer as suas necessidades mais básicas.
A pobreza é normalmente associada aos países em vias de desenvolvimento nos quais a subnutrição, a fome e a falta de água limpa e potável são desafios quotidianos. Contudo, a Europa também é afectada pela pobreza e pela exclusão social, onde apesar de estes problemas poderem não ser tão gritantes, são ainda assim inaceitáveis. A pobreza e a exclusão de um indivíduo implicam o empobrecimento de toda a sociedade. A Europa só pode ser forte se utilizar ao máximo o potencial de cada um dos seus cidadãos.
Não há nenhuma solução milagrosa para acabar com a pobreza e com a exclusão social mas uma coisa é certa: não podemos vencer esta batalha sem si. É tempo de renovarmos o nosso compromisso para com a solidariedade, justiça social e maior inclusão. Chegou o momento do Ano Europeu Contra a Pobreza e a Exclusão Social.
Um valor fundamental da União Europeia é a solidariedade, particularmente importante em tempos de crise. A palavra “União” diz tudo – enfrentamos juntos a crise económica e é esta solidariedade que nos protege a todos.
Aqui ficam algumas das coisas que iremos fazer juntos:
Encorajar a participação e o compromisso político de todos os segmentos da sociedade para participarem na luta contra a pobreza e a exclusão social, desde o nível europeu ao nível local, no sector público e no privado;
Motivar todos os cidadãos europeus a participarem na luta contra a pobreza e a exclusão social;
Dar voz às preocupações e necessidades de todos quanto atravessam situações de pobreza e de exclusão social;

Dar a mão a organizações da sociedade civil e a ONG na área da luta contra a pobreza e a exclusão social;

Ajudar a derrubar os estereótipos e a estigmatização da pobreza e da exclusão social;


Fomentar uma sociedade que garanta a qualidade de vida, o bem-estar social e a igualdade de oportunidades para todos;

Reforçar a solidariedade entre gerações e garantir o desenvolvimento sustentável.

in: Comissão Europeia

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

UM FELIZ NATAL PARA TODOS, SEM EXCEPÇÃO!..

A todos os que nos visitam. Comportenses que habitam na Freguesia e aos que por várias razões se ausentaram em Portugal e no Estrangeiro, a todos os habitantes do Concelho e de fora dele, BOAS FESTAS. São os votos do Comporta-Opina.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Como se deve agir em caso de sismo

Quais as medidas que deve tomar em caso de sismo?






Se estiver num dos pisos superiores de um edifício, não se precipite para as escadas. Abrigue-se no vão de uma porta interior, nos cantos das salas ou debaixo de uma mesa ou cama. Nunca utilize elevadores. Mantenha-se afastado de janelas, espelhos e chaminés. Tenha cuidado com a queda de candeeiros, móveis ou outros objectos. Desligue o gás, a electricidade e a água. Não fume nem acenda fósforos ou isqueiros, pois pode haver fugas de gás ou curto-circuitos. Utilize lanternas a pilhas. Calce sapatos e proteja a cabeça e a cara com um casaco, uma manta, um capacete ou um objecto resistente e prepare agasalhos se o tempo o aconselhar. Verifique se há incêndios e tente apagá-los. Ligue o rádio e cumpra as recomendações que forem dadas. Limpe urgentemente os produtos inflamáveis que tenham sido derramados (álcool, tintas, etc). Se estiver no rés-do-chão e a rua for mais larga que a altura dos edifícios, saia de casa calmamente e caminhe para um local aberto, sempre pelo meio da rua. Se estiver na rua quando ocorrer o sismo, dirija-se para um local aberto, com calma e serenidade. Não corra nem vagueie pelas ruas. Enquanto durar o sismo, não vá para casa. Mantenha-se afastado dos edifícios, sobretudo dos velhos, altos ou isolados, dos postes de electricidade e outros objectos que lhe possam cair em cima. Afaste-se de taludes e muros que possam desabar. Se está num local com muitas pessoas (escola, sala de espectáculos, edifício de escritórios, fábrica ou estabelecimentos comerciais), não se precipite para as saídas. As escadas e portas são pontos que facilmente se enchem de escombros e podem ficar obstruídos por pessoas a tentar fugir. Fique dentro do edifício até o sismo cessar. Saia depois com calma tendo em atenção as paredes, chaminés, fios eléctricos, candeeiros e outros objectos que possam cair. Se conduzir um veículo, pare longe de edifícios, muros, taludes, postos e cabos de alta tensão e mantenha-se dentro da viatura. Se estiver junto ao litoral, fuja para uma zona alta (30 metros acima do nível do mar) e longe da costa, pois é possível ocorrer um tsunami.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

No Setubalense: Bloco de Esquerda acusa CDU de bloquear funcionamento da Assembleia

Os deputados do Bloco de Esquerda, candidatos à Assembleia de Freguesia da Comporta alegam que a actual presidente da Junta, Maria José Coelho, eleita pela CDU, está a causar um impasse naquele órgão, persistindo naquilo que dizem ser uma “ilegalidade” na constituição do executivo. Para esclarecer este assunto, junto da população, o BE realiza uma conferência de imprensa, no dia 16 de Dezembro, pelas 21 horas no Auditório da Comporta.
O motivo inerente à conferência de imprensa que o Bloco de Esquerda vai realizar, na Comporta, pretende “esclarecer a população em relação aos acontecimentos políticos que têm tido lugar nesta freguesia”, indicam os deputados bloquistas, em comunicado.
O BE relata, na mesma nota de imprensa, que, a 27 de Outubro, a reeleita presidente da Junta de Freguesia da Comporta, apresentou uma proposta para a constituição do executivo da Junta, sem a discutir com os restantes eleitos. “Esqueceu-se, porém, que nas eleições de 11 de Outubro, a população da Freguesia da Comporta não entregou a maioria absoluta à CDU, uma vez que foram eleitos quatro membros do PS, quatro membros da CDU e um membro do BE”, expõe a deputada Cecília Oliveira.
Nesta perspectiva o BE defende que, “um executivo composto por todas as forças politicas eleitas, será sempre mais representativo, dos interesses da freguesia e terá um peso mais significativo junto da Câmara Municipal de forma a que não fiquemos mais quatro anos de costas voltadas, perspectiva
 esta que a CDU recusa”.
Segundo a lei das autarquias locais (lei nº169/99 de 18 de Setembro), Maria José Coelho “deveria ter iniciado a votação consultando os membros da Assembleia, no sentido de saber se a eleição seria uninominal ou por lista; coisa que não fez. Ainda segundo a mesma lei, quando a sua proposta de constituição do executivo foi reprovada, Maria José deveria ter apresentado tantas propostas quanto as necessárias para se chegar a um consenso; coisa que não fez”, alega o BE.
Tal como na reunião de dia 9 de Novembro, apesar da não aprovação da acta da reunião anterior e da recusa do PS em participar em qualquer acto eleitoral, como forma de protesto, “pelos procedimentos anti-democráticos continuados, a Presidente da Junta persistiu na mesma ilegalidade”, continua o comunicado.
Na reunião do dia 20 de Novembro, a Presidente continuou a persistir na mesma atitude, indicam os bloquistas, apesar das actas reprovadas pela maioria dos eleitos.
“Deste modo, a CDU infringiu as mais elementares regras de democracia, e deverá reconhecer e assumir as consequências desses actos”, acrescentam, indicando que a posição do bloco de Esquerda, nas sessões de 9 e 20 de Novembro, “significa a recusa em embarcar em soluções que, alicerçadas numa qualquer mera confiança pessoal resultem na velha unanimidade do voto de braço no ar tão cara à CDU e nos últimos tempos ao próprio PS”.
O Bloco de Esquerda caracteriza ainda o comportamento da CDU como “vergonhoso”, tendo procurado “impor uma equipa à revelia dos resultados eleitorais”.

in: http://www.osetubalense.pt/noticia.asp?idEdicao=420&id=14336&idSeccao=3240&Action=noticia

Editado por: Guia de Portugal (Agência LUSA)

:: Alcácer do Sal: BE acusa presidente da Junta de Freguesia da Comporta de desrespeitar resultados eleitorais


16-12-2009

Alcácer do Sal, 16 Dez (Lusa) - O Bloco de Esquerda acusou hoje a presidente da Junta de Freguesia da Comporta de bloquear o funcionamento da autarquia, ao querer impor a eleição de dois vogais da CDU "à revelia dos resultados eleitorais".

Segundo o dirigente bloquista Carlos Cordeiro, a maioria CDU "comporta-se como se tivesse tido maioria absoluta quando obteve apenas uma maioria relativa nas últimas eleições autárquicas". A CDU conseguiu apenas quatro eleitos nas últimas eleições autárquicas para a Junta de Freguesia da Comporta, os mesmos do que o PS, sendo que o BE tem apenas um eleito. De acordo com o dirigente bloquista, atendendo aos resultados eleitorais, o executivo da Junta de Freguesia deveria ser constituído pela presidente eleita da CDU e por um vogal de cada um dos dois partidos da oposição (PS e BE), ou, na pior das hipóteses, por um vogal da CDU e outro do PS, o partido da oposição mais votado. Os bloquistas, que convocaram para hoje à noite uma conferência de imprensa para abordar o conflito na Junta de Freguesia da Comporta, alegam que a presença de eleitos de todos os partidos no executivo poderia ser uma solução mais representativa. Por outro lado, acreditam que poderia também facilitar o contacto com a Câmara Municipal de Alcácer do Sal (PS), ao contrário do que terá acontecido ao longo dos últimos quatro anos de maioria absoluta da CDU. Além das questões relacionadas com a representatividade das diferentes forças políticas na Junta de Freguesia, o dirigente bloquista acusa também a presidente, Maria José Coelho, de ter desrespeitado a legislação em vigor aquando de uma primeira votação para a escolha de dois elementos do executivo camarário. "A presidente da Junta de Freguesia deveria ter iniciado a votação para a eleição dos dois vogais consultando os membros da Assembleia no sentido de saber se a eleição seria uninominal ou por lista, coisa que não fez", disse. Carlos Cordeiro salientou ainda que as actas das reuniões realizadas no passado mês de Novembro, em que foram eleitos os dois vogais da CDU, foram posteriormente reprovadas pelos dois partidos da oposição, pelo que considera que o actual executivo "não tem legitimidade para tomar decisões". Os bloquistas esperam que a CDU "arrepie caminho" para que seja possível encontrar uma solução consensual para a formação do executivo da Junta de Freguesia da Comporta. A agência Lusa tentou contactar a presidente da Junta de Freguesia da Comporta, Maria José Coelho, mas até ao momento não foi possível estabelecer contacto com a autarca comunista.

GR. Lusa/Fim

in:http://www.guiadeportugal.pt/default.aspx?Parametro_Accao=Conteudo&Parametro_Conteudo=conteudos/MunicipiosInformam.ascx&Parametro_ObjectID=47011&Parametro_ClassID=25

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

As origens Americanas do Pai Natal

As origens Americanas



A versão americana da figura do Pai Natal recebeu inspiração e nome da lenda holandesa Sinterklaas, trazida para Nova Iorque pelos colonos no séc. XVII. Por volta de 1773, apareceu na imprensa americana o nome «St. A Claus» mas foi o escritor popular Washington Irving que deu aos americanos, os primeiros detalhes da versão holandesa de São Nicolau.
Na sua "História de Nova Iorque", publicado em 1809 sob o pseudónimo Dietrich Knicherbocker, Irving descreveu a chegada do santo a cavalo, na véspera de São Nicolau.
Este "Saint Nick" americano-holandês alcançou o auge da sua forma americanizada em 1823, no poema "Uma Visita de São Nicolau" (A Visit from Saint Nick), mais conhecido por A Noite antes do Natal (The Night Before Christmas), do escritor Clement Clarke Moore.
Moore incluiu detalhes como os nomes das renas, o riso do Pai Natal, acenos de cabeça e piscar de olhos, e até, sendo referido como elgo, a forma como sobe e desce pela chaminé.
A imagem americana do Pai Natal foi também elaborada pelo ilustrador Thomas Nast , que desenhou um redondo Pai Natal para as edições da Revista Harper entre 1860 e 1880. À história, Nast acrescentou detalhadamente a oficina onde se faziam os brinquedos no Pólo Norte e a lista de crianças boas e más de todo o mundo.
Em 1931, foram feitas várias representações para a a Coca-Cola, colocando de parte a versão de Moore que o colocava como elfo. Nesta época, já só os trabalhadores da oficina de brinquedos eram elgos,. Rudolfo, a 9ª rena de nariz vermelho e brilhante, surgiu apenas em 1939 através da publicidade da empresa Mintgomery Ward.

Sismo sentido em todo o País





Este sismo, de acordo com a informação disponível até ao momento, não causou danos pessoais ou materiais e foi sentido em todo o território do Continente, verificando-se que a intensidade máxima foi de V (escala de Mercalli modificada) na região de Lagos e Portimão.



http://www.meteo.pt/pt/sismologia/actividade/

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Convite à População para Conferência de Imprensa e Sessão de Esclarecimento!

Vimos por este meio convidar o povo da Freguesia da Comporta, assim como todos os interessados, a estarem presentes no esclarecimento público sobre a situação política da Freguesia.
Este evento tem como objectivo dar a conhecer a posição do Bloco de Esquerda em relação aos últimos acontecimentos.
Amanhã, dia 16 de Dezembro, pelas 21 horas, convidamos todos a irem ao Audítório da Comporta para ouvir, perguntar e falar.

   Bloco de Esquerda

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Humanos - Adeus que me vou embora

Os NOSSOS mosquitos

Investigação portuguesa revela surgimento mosquitos híbridos

Dois tipos de mosquitos com hábitos alimentares diferentes estão a cruzar-se geneticamente em Portugal, aumentando o risco de doenças como a febre do Nilo, devido à probabilidade de picarem aves migratórias e o homem simultaneamente.
As duas formas de mosquitos pertencem ao mesmo grupo, mas vivem tradicionalmente em habitats distintos, uma à superfície, outra em ambiente subterrâneo. Uma alimenta-se em aves e outra no homem.
Só que na Comporta, Alentejo, uma equipa de investigadores portugueses descobriu híbridos, resultantes dessa união.
É a primeira investigação em Portugal sobre este tema, já amplamente estudado nos EUA, e está a cargo de uma equipa multidisciplinar liderada por João Pinto, do Centro de Malária e Doenças Tropicais, do Instituto de Higiene e Medicina Tropical.
«Esta espécie apresenta duas formas, que têm comportamentos diferentes. O mais interessante, a nível médico, é o facto de uma se alimentar preferencialmente por aves (pipiens), que são reservatórios destes vírus», contou o investigador à agência Lusa, acrescentando que a outra forma (molestus) se alimenta essencialmente em mamíferos, entre os quais o homem.
Os investigadores encontraram na Comporta uma taxa de hibridação de 15 por cento e estão já a estudar outras regiões do país.
«O que nos levou a estudar este grupo particular de mosquitos em Portugal foi precisamente o facto de transmitirem algumas doenças e já estarem associados a uma epidemia de febre do Nilo ocidental em larga escala, ocorrida há alguns anos nos EUA», disse o investigador, frisando que em Portugal não há casos, por enquanto, nem se espera qualquer situação de alarme nos próximos tempos.
Porém, a investigação permite obter a informação necessária perante um cenário de combate a esse fenómeno, seja através de insecticidas ou outras medidas.
«Havia muito pouca informação acerca destas populações no Sul da Europa, mas já tínhamos conhecimento da presença da espécie em Portugal», afirmou, recordando dois casos de turistas irlandeses infectados no Algarve, onde acamparam para observar aves.
O especialista conta que as duas formas de mosquitos pertencem à espécie mais comum e estão «mais ou menos isoladas» uma da outra, com vários registos que o atestam.
«No Norte da Europa - onde a forma molestus ocupa habitats subterrâneos - o exemplo mais interessante são os túneis do Metro de Londres, enquanto a outra forma que se alimenta em aves vive à superfície», relata.
A equipa, maioritariamente constituída por biólogos, constatou que ambas as formas vivem juntas e à superfície na Comporta, no mesmo espaço, naquilo a que se designa por «populações simpáticas».
Foi também feito um estudo genético para ver se, estando a coexistir no mesmo espaço, os mosquitos mantinham um grau de diferenciação.
«Verificámos que, apesar de eles estarem a habitar o mesmo espaço, mantêm-se diferenciados. No entanto, encontrámos taxas de hibridação da ordem dos 15 por cento, ou seja, estas formas estão a cruzar genes entre si e isso tem uma importância epidemiológica», acrescentou João Pinto.
A epidemia de febre do Nilo vivida nos Estados Unidos dispersou-se em três/quatro anos por cerca de dois terços do território norte-americano.
A doença pode ser grave, mas nem sempre o é, refere João Pinto, explicando que geralmente causa sintomas febris, mas também pode originar problemas neurológicos graves, nomeadamente no desenvolvimento de meningites e encefalites, que podem resultar em morte.
Diário Digital / Lusa

sábado, 12 de dezembro de 2009

AFINAL, QUEM ESTÁ A BLOQUEAR O FUNCIONAMENTO DA JUNTA DE FREGUESIA DA COMPORTA?


AFINAL, QUEM ESTÁ A BLOQUEAR O FUNCIONAMENTO DA JUNTA DE FREGUESIA DA COMPORTA?


É público que o Bloco de Esquerda elegeu uma candidata à Assembleia de Freguesia da Comporta. Candidatámo-nos porque entendemos nosso direito e dever lutar, com a população, por um futuro melhor e mais digno para a freguesia. Foi esse o sentido das posições que tomámos nas sessões realizadas para a instalação da Mesa da Assembleia de Freguesia da Comporta. Porque entendemos que:

- A CDU, apesar de ter sido a lista mais votada, não teve maioria absoluta, logo não pode querer funcionar como tal.

- A CDU andou quatro anos “de costas voltadas” para a Câmara Municipal de Alcácer do Sal - facto prontamente aproveitado pelo executivo para justificar a falta de apoios - devido a questões meramente políticas; nós não queremos cair no mesmo erro.

- Um executivo formado por outras forças políticas, que não só a CDU, terá mais força e mais peso nas decisões tomadas pela Câmara Municipal.

- Somos democratas e acreditamos que todos juntos poderemos ir bastante mais longe em defesa da nossa freguesia.

- Pusemos, por isso, em causa, os processos anti-democráticos com que a CDU, na pessoa da Presidente de Junta eleita, orientou os trabalhos e decidiu à revelia de quase todos. Não poremos nunca em causa a legitimidade do partido vencedor, mas não pactuaremos com atitudes dessa natureza, em nome das mais elementares regras da democracia (já solicitámos, entretanto, o parecer a várias Entidades competentes na matéria)

- Finalmente: a vossa luta, os vossos desejos, as vossas vontades e as vossas necessidades, são as de todos nós. Porque também residimos na freguesia, somos pais e mães que queremos o melhor para os nossos filhos. Lutamos por isso até ao fim; não pactuaremos com ilegalidades.

PS: Um apelo à Presidente da Junta eleita, Maria José: que pense pela própria cabeça, menos pela do partido ou de outras pessoas alheias à realidade da Comporta. Afinal, a Freguesia da Comporta e os seus habitantes têm problemas, interesses e vontades próprias, e deverão ter poder, competência e responsabilidade para lutar pela freguesia.



Com carinho, pelo Bloco de Esquerda

Cecília Oliveira

Audiências com o Governador Civil e com Ministro da Agricultura


O presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal solicitou ao Governador Civil do Distrito de Setúbal e ao Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas audiências com o objectivo de manifestar as preocupações do município quanto aos problemas actualmente enfrentados pelo sector da orizicultura e questionar o Governo sobre as políticas que este pretende desenvolver para minimizar os prejuízos dos produtores de arroz.

Na missiva, Pedro Paredes realça a enorme importância económica e social deste sector no Vale do Sado e no concelho de Alcácer do Sal em particular, algo confirmado do ponto de vista de estratégia para o futuro pelo documento “Alcácer do Sal, Património de Mudança – Estudo de Enquadramento Estratégico”, elaborado pela ParqueExpo e pela Câmara, e aprovado em este ano.
O autarca refere também a relevância da orizicultura para o desenvolvimento estruturante do concelho, algo reafirmado recentemente em moção aprovada por unanimidade pela Câmara Municipal e em documento emanado da Assembleia Municipal de Alcácer do Sal, dando conta da criação – também aprovada por unanimidade – da “Comissão Representativa para a Defesa dos Agricultores e do Arroz de Alcácer”.

in:CMAS

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

A estrada da Nossa Praia


A nossa fantástica praia é o que trás à nossa terra mais visitantes, isto não é novidade para ninguém...
Agora o que é inadmissível é o estado em que se encontra o caminho para lá!













Agora a responsabilidade é da Câmara de Grândola.
Perguntamos nós, o dinheiro que cobraram em parque de estacionamento, (4 euros por carro), durante todo o Verão, não é suficiente para arranjar a estrada?
Se o dinheiro de um ano não dá, provavelmente o dinheiro da exploração de todos estes anos deveria dar.
A estrada é pseudo-arranjada ao início de cada Verão, dá o lucro e depois é deixada ao abandono.
Para nós, esta estrada é o reflexo de toda a Comporta. No Verão é amada, há trabalho, enche-se de gente... Durante o resto do ano os estabelecimentos comerciais mal sobrevivem, não há emprego e somos abandonados pelas autarquias e afins.
A Comporta passa a ser um sítio deserto, onde pouca gente se vê...
A culpa é de quem? De quem não nos dá casas para viver cá, de quem não pensa em criar no local uma economia e postos de trabalho que sejam sustentáveis durante todo o ano...

Assembleia vai reunir fora da sede do concelho


A Assembleia Municipal de Alcácer do Sal vai neste mandato realizar sessões fora da sede do concelho. O objectivo é incentivar a participação popular e cada vez mais ir ao encontro dos anseios e preocupações das populações.

A ordem definida para a realização destas reuniões ordinárias será partir da freguesia de menor dimensão em termos demográficos, para aquela com maior expressão demográfica. Assim, em 2010, a sessão de Fevereiro realizar-se-á em Santa Susana, seguida de reuniões em São Martinho e Comporta, respectivamente em Abril e Dezembro.
Os eleitos na Assembleia Municipal decidiram também criar quatro comissões permanentes. Uma é dedicada ao urbanismo, mobilidade, segurança e ambiente; outra à educação, saúde e acção social; a terceira destina-se ao planeamento, administração, finanças e desenvolvimento económico e a restante tem como meta rever o regimento da Assembleia.
Os eleitos na Assembleia Municipal decidiram também criar quatro comissões permanentes. Uma é dedicada ao urbanismo, mobilidade, segurança e ambiente; outra à educação, saúde e acção social; a terceira destina-se ao planeamento, administração, finanças e desenvolvimento económico e a restante tem como meta rever o regimento da Assembleia.

in:CMAS

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

O Mais Comporta, blog conterrâneo, escreveu. Nós subscrevemos.

"O TAL APARELHO"

"APARELHO ESQUI"


"Este equipamento aqui instalado, foi comprado pela Junta de Freguesia de Comporta no Ano de 2009, decorria a pré campanha para as autarquicas, como todos bem sabemos também o jardim foi requalificado e colocado novo pavimento fornecido pela Câmara de Alcácer do Sal.
Sabemos ainda que a empreitada de requalificação do jardim também foi paga pela junta e por todos nós claro.
Mas o que nós não conseguimos ainda saber é a razão pela qual a Junta de Freguesia de Comporta continua a ignorar o Parque infantil da Comporta.
Os aparelhos existentes não têm manutenção, quando levarem as crianças ao parque tenham cuidado e já agora que o Natal está a chegar, pedimos ao Pai Natal uns assentos novos para o baloiço que desapareceram e não mais foram colocados.
Falta de dinheiro não é!
Má vontade?
Talvez!"
 
retirado de: http://maiscomporta.blogspot.com/

Zé Povinho (por cá também) e aos Zésss


De calças remendadas e botas rotas, é a eterna vítima dos partidos regenerador e progressista, dando a vitória a uns ou outros em época eleitoral. Usando como expressão corporal o manguito e a mão coçando aflita a grenha farta, foi sem dúvida um trunfo na denúncia duma economia capitalista frouxa nas páginas d'A Lanterna Mágica, berço da genial criação do símbolo do povo português. O sucesso obtido foi tal que Bordalo acabou por recriar no barro, em tinteiros, cinzeiros e apitos, a figura-símbolo do povo português ao lado da inseparável Maria da Paciência, velha alfacinha alcoviteira.

«Crescido, Zé Povinho correspondeu perfeitamente às esperanças que n'elle depositaram os solicitos poderes do reino. Como desenvolvimento de cabeça elle está mais ou menos como se o tivessem desmamado hontem. De musculos, porém, de epiderme e de coiro, endureceu e calejou como se quer, e , cumprindo com brio a missão que lhe cabe, elle paga e súa satisfactoriamente. De resto, dorme, resa e dá os vivas que são precisos. Um dia virá talvez em que elle mude de figura e mude tambem de nome para, em vez de se chamar Zé Povinho, se chamar simplesmente Povo. Mas muitos impostos novos, novos emprestimos, novos tratados e novos discursos correrão na ampulheta constitucional do tempo antes que chegue esse dia tempestuoso.
Por tudo pois, ao resumirmos n'estes leves traços, a interessante historia de Zé Povinho, o nosso parabem cordeal a seus sabios e carinhosos paes ós Publicos Poderes.


in:Dr. Vasco Trancoso

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

O site da nossa Junta...


Disponível através de:
http://jf-comporta.pt/default/index.php?option=com_content&task=view&id=34&Itemid=36


O site da nossa junta... Parado no tempo, tal como a própria Comporta!
A notícia tem pelo menos um ano, uma vez que já estamos em Dezembro outra vez.
A questão agora é, quantos anos tem o tractor? Um ou mais? Na altura não estavamos tão atentos... Infelizmente! Portanto não sabemos o quão desactualizada está a notícia.
Mas um ano que seja, já é MUITO MAU.
E depois dizem que apareceu o Bloco de Esquerda, que inviabiliza, que não deixa trabalhar e tal...
Deviam era ter "juizinho" (se o Sócrates pode dizer, nós também podemos)!

Atlantic Tour 2010 - EQUITAÇÃO

A Equitação vai voltar à Comporta!                 

2009-12-02 in: http://www.equitacao.com/singleArticles.do?id=5653

"A maior pista de Relva de Portugal está pronta para receber o Campeão da Europa 2009 Kevin Staut, bem como todos os elementos da equipa Francesa Penelope Leprevost, Olivier Guillon, Timothee Anciaume, Julien Gonin, Michel Hecart, Hervé Godignon. Além das equipas da Rússia, da Ucrânia e Marrocos.

Está concluído o aumento da pista de relva na Herdade da Comporta ficando agora aquele Complexo Hípico dotado das maiores e melhores pistas para Salto de Obstáculos de Portugal.

Assim ficará com uma pista de relva de 120m x 90m, a maior do País, a somar à já existente Pista de Areia (Otto Sport) de 129m x 96m a maior da Europa, além de outras duas pistas de areia de 90m x 60m.
Entre as novidades encontram-se também inseridas no programa do Atlantic Tour 2010, provas de Dressage e Horseball.
A 22 de Fevereiro até 21 de Março CSI2* e 4* e de 24 de Março a 28 de Março CDI4*, CDIJ-CDIY-CDYH, CDN. A 27 e 28 de Março, Jornada de Masters de Horseball.
Em 2010, na Herdade da Comporta vão ser: 5 semanas de provas, 800 cavalos, 24 países e 3 modalidades equestres."

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Homenagem às Mulheres e aos Homens Pescadores da Carrasqueira

Há manhãs à beira-mar em que tudo parece um pouco de tinta muito leve e mais nada. Um pouco de tinta e frescura. A própria luz molhada estremece. O doirado tem muita água e desbota. Uma gota de azul basta para o mar e o céu. E a manhã, trespassada e a escorrer, nascida e hesitando, faz medo que se desvaneça como fantasmas de manhã.

Raúl Brandão in: Os Pescadores

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Crónica de outra crise "confirmada"

Por: Carlos Cordeiro


Numa freguesia em que a população não chega a 1500 habitantes, e na qual a crise internacional também está instalada a par com a “crise do ser humano”, reflectida numa política que nos tenta impingir as mentiras pintadas de verdades !
Como podem certas pessoas se auto-proclamarem de democratas quando nos mais elementares gestos transpiram precisamente o contrário!?
O que hoje se passa na freguesia da Comporta serve de exemplo ao descrédito a que a política chegou.

Os humanos quando alcançam o “PODER” transformam-se e deixam de ser genuínos e de acreditar nos objectivos para que a política serviria ou continua a servir !?..

Como queremos mudar o Mundo se nem na nossa humilde “casa” nos conseguimos entender !?

Como vão cumprir um programa eleitoral zangados com muitos conterrâneos e com os adversários de política !? Disse” adversários de politica”! Pois porque deveríamos ser apenas adversários na política e nas políticas!

Mas não é assim que certas forças pensam, sejam elas de direita ou de uma certa esquerda com tiques de direita.
Nem no parlamento se ridiculariza tanto os novatos e a oposição, como tem transparecido nas reuniões de Assembleia de Freguesia.
Se realmente  pensassem na população da freguesia de Comporta, as acções seriam diferentes das praticadas em meia dúzia de minutos…

Será que é isto que o nosso Povo quer para a Comporta, Carrasqueira, Brejos, Possânco, Cambado, Murta e para os demais "cantos " onde se pode cantar e contar músicas e histórias de embalar?

O desemprego cresce em Portugal... E por cá também!

 A taxa de desemprego em Portugal atingiu 10,2 por cento em Outubro, o número mais alto desde que há registos.
Cá pelo concelho não estamos melhor, no mês de Outubro inscreveram-se no Centro de Emprego de Alcácer mais 55 pessoas.
Isto está crítico, a Comporta não pode continuar a sobreviver apenas do turismo no Verão. Então e o resto do ano? As pessoas não povem viver na expectativa de trabalharem apenas 4 meses num ano.
Algo está mal e alguém tem de fazer alguma coisa!


Retirado do site do IEFP.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Afinal quem inviabliza e bloqueia? - Parte 2

E CONTINUOU DURANTE 4 ANOS...

Relação “azeda” entre Câmara de Alcácer e Junta da Comporta
(2008-07-09) disponível através de:  http://www.mirasado.pt/noticias.php?results=1&id=004166

“Relação azeda” foi como foi classificado na sessão de Câmara de 3 de Julho o relacionamento entre o Município de Alcácer do Sal e a Junta de Freguesia da Comporta.
Na reunião ordinária do executivo camarário que decorreu no salão nobre dos paços do concelho no passado dia 3, vereadores permanentes da Câmara (PS) e autarca da Junta da Comporta (CDU) “trocaram galhardetes” sobre a forma como os problemas desta freguesia têm sido tratados.
(…) Ainda sobre o problema que os pescadores da Carrasqueira estão a enfrentar, interviu Maria José Coelho Martins (CDU), presidente da Junta de Freguesia da Comporta, para manifestar o seu apoio às “gentes do mar”.
A autarca recuperou depois afirmações proferidas na ordem do dia pelo vice-presidente, João Massano (PS), e a discussão subiu de tom. Maria José Martins “apontou o dedo” ao executivo camarário e afirmou que a junta está a “fazer coisas que são competência da Câmara” e que “os pedidos da junta de freguesia não têm sido respondidos pela Câmara de Alcácer”. A autarca sublinhou que o município devia tapar os buracos das ruas da freguesia, melhorar a iluminação e proceder mais frequentemente à recolha de lixo.
A compra de um tractor para limpeza de fossas que o município alegadamente não ajudou a adquirir, o auditório da Comporta criticado pelo executivo mas que tem boas condições, o pólo da biblioteca que foi encerrado e depois reaberto e que na opinião da autarca apenas precisa de um novo chão, o transporte escolar que a junta deixou de fornecer por afirmar não ter condições para tal, foram outros tópicos abordados por Maria José Martins.
As declarações de Maria José Martins foram subscritas por Custódio Alferes, também da Junta de Freguesia da Comporta, cujo contributo veio aquecer ainda mais os ânimos, a pontos do edil Pedro Paredes ter ameaçado “expulsar” o munícipe do salão nobre e dar a sessão terminada por ali.
Custódio Alferes refutou as criticas do executivo que afirmou na reunião que a Junta da Comporta se tinha recusado pura e simplesmente a continuar a transportar crianças para a escola, dizendo que muitas vezes ele ou a secretária da junta deixavam o que estavam a fazer para poderem efectuar o transporte das crianças, uma vez que a autarquia não dispõe de um motorista credenciado para o efeito. O munícipe afirmou ainda que os apoios da Câmara à junta da Comporta têm sido “zero” e acusou o executivo de “má vontade” para com aquela freguesia.
Susana Matias, secretária da Junta de Freguesia da Comporta, tomou também a palavra para reforçar que o pólo da biblioteca da Comporta é bom, apenas necessita de um novo chão e afirmou que o auditório da freguesia é igualmente bom, frisando ainda que o projector do mesmo se encontrava a funcionar por empréstimo no auditório de Alcácer, ainda não foi devolvido e quando supostamente foi solicitado pela junta, o acesso ao mesmo foi-lhes negado.
Quanto à Comporta, Pedro Paredes disse que a Câmara não tem estado parada e a título de exemplo disse que trataram do resto dos arruamentos da Carrasqueira e num anel de casas que foi construído na Comporta fizeram “tudo o resto”.
Se você continuar a afirmar que nada foi feito na freguesia da Comporta, vou chamar-lhe mentirosa politicamente”, disse o vice-presidente, João Massano, à presidente da junta da Comporta, referindo como exemplo a realização de duas intervenções de 750 mil euros na Comporta. Quanto à questão do tractor que havia sido suscitada, João Massano referiu que tinha dito à Junta para indicar a forma como o município a podia apoiar, nem que fosse através de um empréstimo pela junta, cujo valor seria depois ressarcido pela Câmara, o que supostamente foi rejeitado pela junta.
Isabel Vicente, vereadora da Cultura (PS), afirmou que o auditório não tem condições para acolher espectáculos, o que consta inclusivamente de um relatório do Ministério da Cultura. Quanto ao projector, a vereadora diz não ter tido conhecimento de quaisquer solicitações do mesmo. Relativamente ao chão da biblioteca, não vai ser arranjado por agora.
O vereador Helder Serafim (PS) interviu também para afirmar que a recolha de lixo na Comporta é às segundas, quartas e sextas-feiras e aos domingos, sendo essa recolha feita pelo novo veículo que transporta mais quatro toneladas que o anterior, o que é suficiente, na sua opinião, frisando ainda que a Câmara não tem mais meios. Quanto aos buracos nas estradas, Helder Serafim disse que têm estado à espera que a Herdade da Comporta tenha a iniciativa, até porque “é o principal interessado”, mas como há quatro zonas que precisam de intervenção, vai tapar os buracos, embora acredite que daqui a um mês tudo vai estar igual, uma vez que o pavimento não é asfalto. O vereador informou que vai ser candidatada à CCDR a construção da ETAR da Comporta e quanto ao transporte escolar, disse que a Junta tinha dois anos para se adaptar às novas disposições da legislação, pelo que a autarquia ainda tinha condições para continuar a efectuar o transporte das crianças.

À parte da “troca de palavras azedas” entre Câmara e Junta da Comporta,(...)"

Parece-nos que tudo isto foi esquecido, que querem fazer mais do mesmo.
E os outros, que defendem que se deve fazer diferente, para a Comporta não continuar numa "guerra" com a Câmara é que são bloqueadores e não se preocupam com a Comporta!?
Uma coisa é certa, assim não podemos continuar. E no que depender de nós, não vamos deixar perpectuar esta forma de trabalho nem compactuar com ela.
Vamos lutar pela Comporta acima de quaisquer interesses pessoais ou partidários.
Nós sim, somos pela Comporta e pelo seu povo.

domingo, 29 de novembro de 2009

Afinal quem é que Inviabiliza e bloqueia?

O INÍCIO...
Na Freguesia da Comporta os novos eleitos tomam posse  (2005-10-27) - Retirado de Rádio Mirasado através de http://www.mirasado.pt/noticias.php?id=000359

"A cerimónia, que se realizou, terça-feira (25 de Outubro), pelas 21 horas, no Auditório Municipal da Comporta, contou com uma forte presença da população da freguesia, que participou activamente na sessão.
Na tomada de posse foi eleita para o cargo de Secretário Susana Picanço, enquanto Custódio Jaime foi eleito Tesoureiro da Junta.
Quanto à Assembleia de Junta, António Viegas é o novo Presidente. Fernando Pedreiro assumiu as funções de Primeiro Secretário e Cláudia Martins de Segundo Secretário.
(...)
Para a Presidente, que já ocupou outros cargos ao serviço da instituição anteriormente, a equipa “em geral e em relação ao outro mandato, é uma equipa mais nova e mais fresca e dá-me a impressão, segundo aquilo que eu consegui apurar,(...) penso que vai ser uma boa equipa de trabalho. Até já tenho dito aos meus colegas de Junta que vão com uma força tão grande, que vamos lá a ver se eu não consigo ficar para trás! Em relação à Assembleia que aqui foi apresentada, (...) parece-me uma equipa que vai dar frutos”.

Face ao facto da Junta de Freguesia da Comporta ser CDU e a Câmara Municipal de Alcácer do Sal ser PS, Maria José Coelho Martins diz que “como pessoa, sou uma pessoa que me relaciono bem com os outros; como política, é certo que vai haver certamente alguns problemas no caminho (...), mas espero que mesmo havendo esses problemas, visto que a Câmara não é CDU, penso que com a forma como eu costumo estar na vida vou conseguir algumas coisas, nem muitas nem tudo o que gostaria de conseguir, mas certamente acho que temos que dar provas de confiança nas pessoas que estão lá.(...) Eu estou mais no optimismo que pelo negativismo e então penso que vamos lá”.


  • "Vamos lá ver se eu não consigo ficar para trás"? Ela queria ficar para trás do quê?
  • "como política, é certo que vai haver certamente alguns problemas no caminho (...), mas espero que mesmo havendo esses problemas, visto que a Câmara não é CDU (...)" Isto foi na tomada de posse, a Srª já andava a dizer que iam haver problemas. Será que já se esqueceu do que disse? Será que se esqueceu que a Junta e a Câmara ao serem de forças políticas diferentes pode dificultar as coisas para a Comporta?
  • Quando andava em campanha, mandava as pessoas votarem na CDU, porque a CDU ia ganhar a Câmara e depois não se conseguia trabalhar. Agora já se esqueceu de tudo isso. Ou já não lhe convém!?
  • A culpa é sempre dos outros, mas ainda antes de a Câmara poder fazer ou dizer alguma coisa, já ela andava a antecipar problemas e conduzir à sua existência.

sábado, 28 de novembro de 2009

Agora foi no Litoral Alentejano

Umas considerações:
  •  Apesar de estarem presentes, não foram as pessoas da CDU da Comporta a falar, precisam de porta voz. 
  • A "conferência de imprensa" para esclarecer os Comportenses é em Santo André, na sede do PCP. "Claramente a pensar no povo da Comporta e sem dúvida sem qualquer interesse político."
  • De resto a pantominice é a mesma, continuam a tentar ludibriar o povo e continuam a precisar que os mandem, que falem por eles e que os façam parecer coitadinhos. 
Nós continuamos a aguardar que se prenuncie quem sabe. Impávidos, serenos e acima de tudo de consciência tranquila.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Comunicado da CDU no Jornal O Avante

PS e BE bloqueiam Comporta

Os eleitos do Partido Socialista e do Bloco de Esquerda na Comporta estão a bloquear o funcionamento da Junta e da Assembleia de Freguesia e procuram «inverter de uma forma vergonhosa os resultados das eleições autárquicas», dizem os eleitos da CDU na Freguesia da Comporta, em comunicado enviado anteontem aos órgão de comunicação social.

No texto, os eleitos da CDU explicam que a conduta concertada do PS e do BE começou logo no dia da instalação dos órgãos de poder local, a 27 de Outubro, com a rejeição da proposta de constituição do Executivo da Junta feita pela presidente.
Na Assembleia seguinte, a 9 de Novembro, ambas forças políticas rejeitaram a acta da reunião anterior e os eleitos do PS recusaram-se a votar a eleição dos dois vogais para o Executivo, após o que, de forma intempestiva, juntamente com o eleito do BE, abandonaram a Assembleia obrigando ao seu cancelamento por falta de quórum.
Na sexta-feira, em nova Assembleia de Freguesia, PS e BE voltaram a não aprovar as actas das assembleias anteriores e abandonaram a sala, provocando nova falta de quórum, na hora de substituir os membros eleitos para o Executivo da Junta.
Neste contexto, o funcionamento da Junta e da Assembleia de Freguesia estão bloqueados, sendo os principais prejudicados a população da Comporta, diz a CDU que, sublinha-se no texto, «tudo fará para não defraudar as expectativas dos eleitores, tendo por base não só o rigoroso cumprimento da lei, mas também a vontade democraticamente expressa pelos cidadãos».

Deixem-os falar! Assim são mais pessoas a ler as barbaridades que dizem! Assim a falta de respeito pela lei, pela oposição e pela vontade do povo tornam-se ainda mais públicas.
Vamos aguardar o parecer de quem sabe, sem termos qualquer receio de sermos acusados de querer respeitar a lei! Em caso de dúvida. perguntamos a quem sabe, não bloqueamos nada. O Bloco não compactua com tomadas de decisão dúvidosas.
Podem continuar a vitimizar-se, podem continuar a mentir, podem continuar o jogo sujo que sempre fizeram.
Nós também continuaremos a cumprir a lei, a aguardar parecer da entidade competente e a colocar os interesses da Comporta e do seu povo acima de tudo.
Não é com pantominices que nos incomodam.
Somos pela Comporta, somos pela lei e estamos cá para lutar!

Junta de Freguesia da Comporta no Setúbal na Rede

Diferendo deixa órgãos da freguesia da Comporta por instalar:


Os órgãos de freguesia da Comporta, em Alcácer do Sal, ainda não foram instalados, uma vez que o PS e o BE, as forças da oposição representadas na assembleia de freguesia, não se entendem em relação à composição do executivo escolhido pela presidente, a comunista Maria José Martins. Cecília Oliveira, eleita pelo BE, defende que o executivo “não deve ser formado exclusivamente pela CDU, independentemente de qual seja a outra força política”. Por sua vez, João Massano, presidente da concelhia do PS de Alcácer, lamenta o “impasse” criado, “que não dignifica a junta nem a sua presidente”.
Cecília Oliveira explica que a presidente da junta “não mantém uma boa relação com o presidente da câmara”, o socialista Pedro Paredes, o que fará com que a freguesia fique “quatro anos a patinar”, caso o executivo seja todo composto por eleitos da CDU. Além disso, refere que o BE “quer estar por dentro do que se passa e participar em tudo”, exigindo “clareza” nos processos, algo que não aconteceu no último mandato, “uma vez que existiram situações de que a assembleia municipal não teve conhecimento”.
Para João Massano, a presidente da junta “deve perceber que está em minoria” e, por isso, “tem que trabalhar com outras pessoas”, dando o exemplo do que se passa na câmara de Alcácer, onde o PS também não conseguiu a maioria absoluta. Por isso, apela a Maria José Martins que “olhe para os resultados das eleições e a vontade expressa da população”. Manuel Rebola, da CDU de Alcácer do Sal, realça que o seu partido não teve maioria absoluta na comporta, mas “teve maioria dos votos”.
Os órgãos de freguesia da Comporta continuam por instalar depois de, na assembleia de freguesia, os eleitos do PS não terem votado a constituição do executivo da junta “em forma de protesto”. Uma vez que os socialistas “estavam na mesa e nem receberam boletins de voto”, Cecília Oliveira confessa que tem dúvidas quanto à legalidade da votação, em que a edil entendeu “contar com o protesto do PS como abstenção”, tendo pedido assim um esclarecimento à Comissão Nacional de Eleições (CNE), do qual ainda não obteve resposta. Assim, na terceira assembleia de freguesia, o BE “retirou-se da mesa em desacordo”, tendo sido seguido pelo PS, ficando as actas de instalação do executivo por aprovar e os órgãos da mesa de assembleia por instalar.
A CDU acusa as forças de oposição de estarem a “inviabilizar e bloquear” o funcionamento da Junta de Freguesia da Comporta, “prejudicando a sua população”. Em comunicado, o partido acusa o PS e o BE de quererem “inverter de uma forma vergonhosa os resultados” das eleições. No entanto, João Massano entende que a CDU “não pode exigir que os partidos aceitem uma solução unilateral que não beneficia a população”. Cecília Oliveira, realça que “a lei diz que o presidente propõe o executivo” e, por isso, a oposição “pode concordar ou não” com a proposta.
Manuel Rebola garante que a CDU está “disponível” para negociar e revela que, numa segunda tentativa, levou uma proposta a reunião de câmara para “o PS ficar com o primeiro secretário e o BE com o segundo secretário”. No entanto, sublinha que “nem sequer houve uma resposta”. João Massano explica que não são os lugares que estão em causa, mas antes “as pessoas que vão participar nas decisões” da freguesia. Assim, acusa a CDU de se “estar a fazer de vítima”, esperando que não se tenha que repetir as eleições, o que seria “mau” para a população. Por sua vez, Cecília Oliveira explica que essa proposta só poderia ser analisada e pensada depois da resposta da CNE.


in: Setúbal na rede

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Comunicado do PS sobre a Junta de Freguesia

Clique na imagem.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

O desespero chegou à rua:


Do Bloco de Esquerda:
Sem que a oposição(BE) estivesse ou esteja a pôr em causa a vitória da CDU, o Bloco e o PS continuam a ser as forças que num somatório de votos estão em maioria!
A intransigência e a falta de respeito pelos outros, fez com que a CDU passasse a usar a mentira e o autoritarismo como arma de arremesso, para com os que votaram neles e para com os outros partidos políticos.
Sem escrúpulos, sem respeito, sem limites e acima de tudo sem leis,  fizeram sair para a rua um comunicado usando uma linguagem pouco acessível e sem base legal ou jurídica.
Isto só demonstra a pouca certeza que têm em relação à forma usada em todo o processo que levou ao clima que se instalou nas Assembleias de Freguesia.
Querendo o Bloco de Esquerda, transparência, justiça, e mudar o rumo do clima vivido nos últimos anos e nos últimos dias.
Vamos continuar sem pactos que sejam  pouco favoráveis às populações e aos destinos da nossa Freguesia!
Pela Freguesia da Comporta e pelo desenvolvimento da mesma, vamos lutar e usar a legalidade; como membros de uma oposição que se quer forte e cooperante!

domingo, 22 de novembro de 2009

sábado, 21 de novembro de 2009

Assembleia de Freguesia de 20 de Nov.2009- 4ªParte


Assembleia de Freguesia de 20 de Nov.2009- 3ªParte


Assembleia de Freguesia de 20 de Novembro 09 - 2ª PARTE


Assembleia de Freguesia de 20 de Nov.2009 1ª Parte


Porque a culpa é NOSSA!

Desta vez a D. Maria José já aprendeu umas coisas. Pediu para a audiência da sala respeitar e não intervir indevidamente.

Aprendeu a dar a palavra à oposição, a deixar falar e a não mandar calar as pessoas.

Aprendeu a ser mais bem-educada, a não interpelar ninguém e a saber ouvir.

Mas ainda continua com muito para aprender!

Voltou a apresentar a mesma acta da reunião da primeira reunião, outrora rejeitada, sem alterações. Se não foi aprovada na primeira tentativa, se permanece igual, e sendo as pessoas coerentes, vão continuar a não aprová-la. A justificação que dá, é que a intervenção das pessoas foi depois de encerrar a sessão. Por um lado tem razão, porque ela fez questão de encerrar a sessão inesperadamente e sem dar oportunidade a ninguém para falar, mas está a esquecer-se do facto de que voltou a encerrar a sessão depois das intervenções. Foi novamente rejeitada, por estar incompleta, pelos membros da oposição.

A D. Mª de Jesus informou que, por não perceber nada de leis, resolveu perguntar a que sabe, pedindo um parecer ao Governador Civil sobre a 1ª reunião. O Sr. Governador afirma que deviam ter existido tantas propostas, por parte da Srª Presidente, quanto necessárias para haver entendimento.

Na acta da segunda reunião, para além de uma quantidade de incongruências, surge uma muito importante. Não é que a senhora se lembrou de escrever que, no dia da reunião, concluiu que tinha formado o executivo? Quem lá esteve sabe que essa afirmação é ridícula.

A Sr.ª Presidente afirmou que o executivo fora formado naquele dia, que tinha a certeza. Que tinha falado com juristas e todos lhe disseram que havia executivo. Agora perguntamos nós, se tinha tanta certeza, porque foi falar com juristas? Todos sabemos que não concluiu isso naquele dia, e que isso não foi dito. Pedimos desculpa pela expressão, mas é MENTIRA. Anda a tentar enganar quem? Só a si ou o povo todo?

A Cecília falou, apontou todos os erros que a acta tinha. Contestou a afirmação quanto à conclusão a que supostamente a CDU tinha chegado. E demonstrou estar com muitas dúvidas quanto à legalidade do que se tem vindo a passar. Como tal, não vai compactuar com uma situação que não sabe se é legal. Atenção, ela não sabe, não disse que não o era, apenas colocou a dúvida.

Como a Cecília "não percebe nada de leis", e na política anda à pouco tempo, resolveu pedir um parecer ao órgão competente, à Comissão Nacional de Eleições. Portanto, sugeriu um adiamento da sessão até esse parecer ser dado.

Questionou depois, em que base legal a Srª Mª José se baseia para dizer que a votação foi legal? Acabou por responder "os votos", não passando daí. Portanto, nada de leis, nada de afirmações concretas, nada de pareceres de autoridades competentes. Apenas os votos... Todo o procedimento não interessa como decorreu, desde que ela atinja os seus fins.

A CDU tentou continuar com a sessão, não respeitando o pedido de adiamento da deputada. A Cecília disse então que não ia decidir nada, e saiu da mesa. O PS informou que, desta forma, também se retiraria.

Pode concluir-se uma coisa, mais vale não saber e perguntar-se a quem sabe, do que andar a tentar enganar tudo e todos.

Mas eles já estavam à espera, já tinham um discurso preparado para esta situação. Um discurso para se vitimizarem e dizer que "Executivo está formado e vai continuar a trabalhar".

Fazem-se de vítimas, para culparem os outros. Será que não percebem que foram eles que criaram toda esta situação? A solução que encontram contra uma oposição que quer fazer as coisas legalmente, é passarem um atestado de estupidez às pessoas dizendo que a culpa é dos outros.

Pelo menos passar atestados podem, agora deixa ver se não andam na Junta a tomar decisões que não podem...

Mas a culpa é do Bloco! Nós assumimos! Somos culpados de querer cumprir a lei e lutar pela Comporta!

Ao Povo da nossa Freguesia

Isto é uma explicação e um pedido. É uma explicação ao povo da Comporta, que tem o direito de saber o que se tem passado na nossa terra e tem o direito que lhe expliquem como as coisas funcionam. E é um pedido à Srª Presidente para que ouça a vontade do povo, que me elegeu a mim e mais 4 pessoas de outro partido para a Assembleia, para que nos ouça, nos respeite e respeite a lei.


Na primeira reunião de Assembleia, deveria ter sido eleito o Executivo. O Executivo é composto pela Srª Presidente e mais duas pessoas escolhidas de entre os membros da ASSEMBLEIA .Estas pessoas são eleitas pela Assembleia, isto é, a Srª Presidente deve apresentar tantas propostas quantas forem necessárias, até que a maioria aceite.

É também a Assembleia que decide se essa eleição é feita através de listas ou pessoa a pessoa (uninominal). Na primeira reunião, dia 27 de Outubro, a Srª Presidente não perguntou como seria a votação, logo tudo o que se passou de seguida foi ilegal.

Na segunda reunião o PS quis manifestar-se contra esse não cumprimento da lei, e a Srª Presidente não os deixou falar. Como resultado disso recusaram-se a votar, ou seja, não votaram. Não votar, como diz a lei, é ilegal. Não pode acontecer votação nenhuma na Assembleia em que as pessoas não votem. A Srª não podia continuar, ou lhes pedia para abandonar a mesa, ou não continuava. Assim, considero o que se passou poderá não ser legal.

Eu votei, porque não sabia que o que se estava a fazer poderia ser ilegal. Mas agora, depois de ter lido a lei, sei que aquela votação pode não ser válida. Nem toda a gente pode saber tudo e, como todos sabem, apenas me dediquei à política este ano.

Na lei também diz que podem existir empates na votação, entre dois nomes ou duas listas. A Srª Presidente apresentou uma lista ou um nome de cada vez, assim não podem haver empates, por isso acredito que todas as votações foram feitas de forma errada.

Eu não quero impedir ninguém de trabalhar, eu quero apenas que as coisas sejam feitas legalmente, e ter a certeza disso. Eu quero o melhor para a Comporta e acredito que o melhor para a Comporta era ser feita a vontade do povo era estarem os 3 partidos no Executivo. O Executivo, como o nome indica, é apenas quem executa, porque quem decide é a Assembleia. Como querem que as coisas funcionem bem, se insistirem em querer fazer as coisas sozinhos e depois têm apenas 4 pessoas na Assembleia? A oposição está em maioria, e é necessário que todos trabalhem juntos

Eu quero que tudo se resolva, quero que pensem na Comporta e no povo. Juntos temos o dever de fazer o melhor por eles, porque eles votaram em todos nós.



Com carinho, Cecília e todo o Bloco de Esquerda

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Nova Assembleia dia 20


Sexta-feira, dia 20 de Novembro, pelas 21horas vai decorrer no auditório uma nova reunião de assembleia de freguesia.
A presença de todos é importante para a Comporta e para o seu desenvolvimento.
É com agrado e orgulho que o Comporta Opina assiste a uma maior participação dos Comportenses e a um maior envolvimento nos assuntos importantes para todos nós.
Vamos continuar a participar e a lutar pela nossa terra e pelos nossos interesses.
A voz do povo é cada vez mais importante!
Pela Comporta, pelo nosso bem estar, VAMOS TODOS LUTAR!
Todos juntos chegaremos cada vez mais longe!


terça-feira, 17 de novembro de 2009

O desemprego cá pelo Concelho

Numa altura em que se fala do aumento do número de desempregados em Portugal, vamos espreitar como estão as coisas cá no nosso concelho.

As notícias hoje apontam para uma taxa nacional de desemprego de 9,8%. Este valor é assustador, pensar que em cada 100 portugueses há quase 10 pessoas desempregadas.

O que consideramos ainda mais grave é o facto destes valores se regerem pelos indivíduos inscritos no Centro de Emprego, e há muita gente que não se inscreve no Centro de Emprego. Para além disso existem sempre aquelas respostas por parte do governo, cursos e afins, que fazem baixar as taxas, mas que na realidade se traduzem em nada. Isto é, mandam as pessoas para um curso de formação e “arrancam-na” das estatísticas, na prática a pessoa mantém-se desempregada e sem perspectivas de emprego, porque é retirada dos registos do Centro de Emprego.

No mês de Setembro existiam no Concelho 440 desempregados (últimos dados disponíveis pelo IEFP), dos quais 223 são homens e 217 são mulheres.

380 encontram-se nesta situação há menos de 1 ano, e 60 há mais de 1 ano.
50 pessoas procuram o 1ºemprego e 390 procuram novo emprego.

É assustador não é? Isto era em Setembro, em que o turismo ainda empregava muita gente, imaginemos os meses que se seguem. Estaremos atentos.

sábado, 14 de novembro de 2009

Extermínio pouco conhecido

Veja e analise. São tristes histórias da História da Humanidade.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Teatro de Marionetas na Comporta





                                 Início do Espectáculo: 27 de Outubro pelas 21 horas

 Segunda sessão: 9 de Novembro pelas 21 horas

 Terceira sessão: 20 de Novembro pelas 21 horas

        
                                Bonecos da criação de Stº Leste ( uma Companhia à beira da falência)
                          
                                    ISTO SIM É CULTURA!
 Entre as muitas variedades de fantoches, as marionetas de fios são as mais versáteis e originam, elas
próprias o maior número de variações na construção de espectáculos.
A sua representação pode ser única em graça, mas não pode ter acção espontânea, porque alguns movimentos mais rápidos e enérgicos são passíveis de originar o emaranhamento dos fios.
As marionetas de fios são bonecos articulados e controlados por fios de número variável, de comando mais complicado, chamado cruz, estrela ou aeroplano. A sua manipulação pode atingir uma extrema perfeição técnica. Desde a antiguidade que existem referências a este género de marionetas, cuja origem parece ser a estatuária animada.
Em regra, a marioneta não parece natural se tiver proporções humanas: assim, a cabeça, as mãos e os pés são construídos em dimensões levemente mais largas que as humanas e as pernas deverão ser mais curtas.
O tamanho adequado para as mãos é, normalmente, o comprimento que vai do queixo até meio da testa, devendo os pés ser um bocadinho mais compridos. Claro que isto não é uma regra rígida, pois qualquer parte da marioneta pode ser exagerada, mas deve haver sempre uma razão teatral para as proporções escolhidas e é justamente a excepção à regra e as variações que se tornam importantes.

Assim, durante a construção as marionetas deverão ser inspeccionadas à distância e, se possível, debaixo da luz de projectores porque isso ajuda a ter a dimensão dos exageros que é necessário fazer.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

A Senhora dá licença?

Por: Carlos Cordeiro

A SENHORA DÁ LICENÇA?

Durante a última Assembleia quando o descontrole se instalou, e depois da intervenção de muita gente, pedi licença a quem “conduzia” os trabalhos: "POSSO FALAR?" (isto porque resolvi ser educado), obtendo a resposta mais autoritária possível,  que não ouvia desde miúdo: -"NÃO! NÃO PODE!"

Pensei que me encontrava numa daquelas reuniões de uma empresa, onde só os principais accionistas dão ideias.

Nunca imaginei que a forma “trotskista” de lidar com as pessoas, estivesse instalada na Comporta.

Como fui impedido de proferir uma só frase, muitas outras terei de dizer!” Sirva o carapuço a quem servir”.

O que é triste, e toda a gente o sabe, minha(s) Senhora(s) e meu(s) Senhor(s): como é que alguém consegue apenas trabalhar com um Executivo da sua escolha, quando vai ter de trabalhar durante 4 anos com uma oposição de 5 elementos? Das duas uma, ou vai passar ao lado das Leis e mais tarde vem dizer que foram alteradas há 8 anos atrás; Ou então passar-se-á o tempo todo com cenas idênticas ao que aconteceu no dia 9 de Novembro.

Em  DEMOCRACIA não temos legitimidade para tudo o que queremos (nós todos).

Que ninguém pense(ocupando o cargo ou o lugar que ocupar), que está acima da ética ou das leis.

A Comporta é dos Comportenses (quer habitem nela ou fora dela), não precisamos que nos ensinem como devemos viver, ou como conduzimos os nossos caminhos. Nós não nos deslocamos às outras Freguesias para dar palpites ou ensinar algo.

No caso da Senhora Maria José vai realmente ter de aprender, porque durante os seus 20 anos na “politica”, o que aprendeu é só visto por um lado do prisma.

Um conselho de um natural da terra: resolva o que tem a resolver mas respeite a imagem da Freguesia da Comporta e deixe trabalhar quem o faz por carolice e não por “carreirismo politico”.
Censura é uma acção e uma palavra do passado!
Carlos Cordeiro

Em nome da Comporta, um blog pelo povo e para o povo!

É com prazer que informamos que a voz do Bloco não se faz ouvir só na Assembleia de Freguesia!
Ontem, dia 10, fomos visitados por mais de 100 pessoas.
Ontem, dia 10, ultrapassámos as 5000 visitas.
Isto prova que, embora nos mandem calar, embora a nossa voz incomode muita gente, estamos cá para  falar e fazer chegar a nossa opinião a cada vez mais pessoas!
Mas também estamos cá para dar voz aos outros e respeitar a opinião de cada um, como temos vindo a fazer.
Estamos cá para lutar pelos interesses da Comporta, doa a quem doer!

terça-feira, 10 de novembro de 2009

A Assembleia: finalmente o povo falou!

A Sr ª Presidente voltou a abrir a mesa, com a mesma postura anti-democrática que deu a conhecer na última Assembleia.


Foi lida a proposta de acta redigida em relação à pseudoreunião de dia 27 de Outubro, onde apenas constava a parte em que a CDU falou. Logicamente não foi aprovada, e os motivos inerentes a essa reprovação foram explicados pelo PS e pelo BE, porque estava incompleta.

Voltou a dizer que a lei mudou (a lei mudou em 2002, não é desculpa para o que ela fez na última reunião, nem novidade) e que era direito dela propor as pessoas em que confiava PESSOAL e POLITICAMENTE para o executivo. Colocou uma postura de vítima em que os outros é que estavam a inviabilizar o progresso da Junta, dado que ela só consegue trabalhar com os do partido dela.

Para o público que não tem acesso à internet foi um discurso confuso, incoerente e sem lógica. Para quem lê o Comporta Opina, foi clara a resposta a vários posts que colocámos. Mais uma vez, não pensou no povo, não se preocupou em ser clara e explícita e voltou a defender as amizades e a cor política acima de tudo.

Agora já sabia que era direito da Assembleia deliberar se queria a votação por meio de listas ou uninominal, ao que podemos concluir que a Srª não conhecia de facto a lei. Não foi só teimosia, foi mesmo ignorância.

O PS tomou a posição de se abster em qualquer acto eleitoral a decorrer naquele dia, em protesto à forma como têm vindo a ser feitas as coisas. Tentou explicar os motivos daquela decisão, mas a D. Maria José não o permitiu, simplesmente não deixou falar.

Procedeu à proposta de Susana Picanço primeiro e depois Nuno Guisado para o executivo. Uns momentos decorridos depois de ter começado a palhaçada, alguém do público interveio, explicou que não poderiam votar só os 5 quando estavam 9 na mesa.

Foi aí que se deu a coisa mais fantástica que poderia existir… O Povo falou, mas só falou quem a Srª queria, porque os da Comporta não tinham esse direito. Estando na mesa ou no público tinham de estar calados à sua ordem.

Mas o Povo não permitiu a perpetuação daquele autoritarismo infundamentado e ridículo… Continuou a fazer-se ouvir e manifestou-se contra a imposição da eleita.

A Cecília interveio, e falou pelo povo. Disse que se sentia triste com tudo o que se estava a passar, disse que se sentia “uma bola de ping-pong” no meio de uma guerra entre partidos e que todos se esqueciam do mais importante, a COMPORTA! Todos se esqueciam que tinham sido eleitos pelo povo para o servir e não pelos partidos. Que deviam defender os interesses do povo e não o dos partidos.

A deputada do Bloco explicou porque devia ser mais do que um partido no executivo, que era a vontade do povo, e que para ela era indiferente se fosse do BE ou do PS. Porque todos deviam defender os mesmos interesses: os da Comporta e não fazer guerras partidárias.

O povo presente aplaudia a cada ideia finalizada, o povo levantou-se para aplaudir quem realmente defende a Comporta. Com palavras simples e acessíveis e com o coração demonstrou a sua posição e o seu amor pela terra.

À excepção das pessoas que não eram da Comporta e poucas mais, o povo reconheceu nas palavras da Cecília a sua vontade. O povo ouviu a sua voz representada na Assembleia. Sem interesses políticos ou pessoais. Só com a vontade de fazer algo pela terra e cheia de emoção nas palavras a Cecília disse o que o povo pensa e sente.

O PS retirou-se da mesa, em forma de protesto, não corroborando o que estava a ser feito pela CDU, perante o sucedido o Bloco também se retirou.

A Srª Presidente continua a apoiar-se na ideia de que foi ESCOLHIDA, nós vamos ensinar uma coisa: 5 é mais do que 4, o que significa que ela não é a vontade do povo, a oposição é a voz do povo. Podem nem sempre estar em concordância, mas a partir do momento que estão contra as decisões dela são a MAIORIA. 5 vai ser sempre mais do que 4.

À D. Mª José foi dada uma lição de democracia e ao povo foi finalmente dada voz...

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

O Muro caíu. E outros precisam caír !?




No Outono de 1989 os acontecimentos no território da antiga República Democrática Alemã sucediam-se a uma velocidade estonteante. Os duros do regime tinham sido afastados do poder e substituídos por elementos mais disponíveis para dialogar com os movimentos da oposição.
Günter Schabowski, porta-voz do Politübro, dava diariamente a cara pelo governo e anunciava a novas medidas em conferências de imprensa que eram transmitidas em directo.
Naquela tarde fria de 9 de Outubro, Schabowski, hoje com 80 anos, entrou na sala para ler o comunicado dando conta da resolução do governo que autorizava os alemães orientais a viajar para o ocidente sem quaisquer restrições burocráticas.
Schabowski acabara de receber a nota e mal a lera. No final da conferência, um jornalista da NBC perguntou-lhe quando é que as novas regulações entrariam em vigor. Ele passou os olhos pelo papel e respondeu: "Sofort, unverzüglich [Já, imediatamente]" .
Nesse mesmo instante, a agência Reuters noticiou que os alemães orientais podiam, desde logo, atravessar a fronteira inter-alemã em qualquer ponto. Ao mesmo tempo, as notícias transmitidas pela televisão da Alemanha ocidental (nessa altura uma das principais fontes de informação independente para a população da Alemanha de Leste) anunciavam que o muro de Berlim estava a ser aberto.
Poucos minutos depois, dezenas de milhares de alemães orientais começaram a confluir para o muro que dividia a capital do país dividido. Sem ordens dos seus superiores e sem saber o que fazer, os guardas fronteiriços simplesmente abriram a fronteira para deixar passar as multidões, através deste marco da cortina de ferro que separou a Alemanha e o mundo em campos antagónicos.



        in: Visão online

sábado, 7 de novembro de 2009

Eleição dos Vogais da Junta de Freguesia ( Secretário e Tesoureiro )



Convocada até ao 20º dia posterior ao apuramento defenitivo dos resultados eleitorais, a reunião para eleição dos Orgãos da Freguesia é, inicialmente, presidida pelo Presidente da assembleia cessante que reconhece, instala e identifica os elementos das listas concorrentes, eleitos para as funções (artº 8º da Lei das Autarquias locais - Lei 169/99, de 18 de Setembro, na redacção que lhe foi dada pela Lei 5-A/2002, de 11 de Janeiro).

A reunião é, seguidamente, presidida pelo cidadão que encabeça a lista mais votada - o Presidente de Junta - que propõe de entre os membros efectivos, aqueles que hão-de exercer o cargo de Vogais (artº 24º , nº2 da Lei das Autarquias Locais).


A votação é feita por escrutínio secreto, nos termos do artº 9º da mesma Lei das Autarquias Locais.

Os Vogais (Secretário,Tesoureiro) eleitos retiram-se da Assembleia, dando assento aos dois suplentes que, na mesma lista, se seguem e que são chamados a ocupar o lugar dos que se retiram.